Novidades

17 out A importância da prevenção e do seguro vida mais mulher

Manter hábitos saudáveis é a melhor forma de prevenir o câncer de mama, o que inclui uma dieta pobre em alimentos gordurosos, atividade física regular, pouca ingestão de bebidas alcoólicas e nenhum cigarro. A atividade física e o aleitamento são considerados os principais fatores de proteção contra a doença.

A detecção do câncer de mama nas etapas iniciais aumenta as chances de cura. O autoexame e o exame clínico das mamas feito por um profissional treinado são os procedimentos recomendados para a detecção precoce da doença.

Autoexame de mama

O autoexame de mama não substitui o exame clínico que deve ser feito a cada dois anos a partir dos 30 ou 35 anos. Mas a mulher pode ajudar na detecção precoce do câncer de mama fazendo o toque das mamas. Mas encontrar um nódulo não quer dizer que seja um câncer. Só um médico pode fazer o diagnóstico após exames.

O autoexame é recomendado a partir dos 20 anos de idade;

A periodicidade deve ser mensal;

O ideal é fazer a palpação das mamas entre o quarto e o sexto dias após o fim do fluxo menstrual;

Mulheres que não menstruam devem fixar uma data para fazer a avaliação;

As mulheres devem fazer a apalpação dos seios em frente ao espelho e durante o banho ou deitadas;

Na frente do espelho, a mulher deve observar se há deformação ou alteração no formato das mamas, abaulamentos ou retrações e feridas ao redor do mamilo;

No banho ou deitada, a mulher deve observar a presença de caroços nas mamas ou axilas e secreção nos mamilos.

Seguro vida mais mulher

Seguro Vida Mais Mulher faz toda a diferença para sua tranquilidade enquanto você realiza seus sonhos e conquistas. Ele oferece proteção financeira em situações inesperadas, como uma segunda opinião médica em caso de suspeita ou diagnóstico de câncer, recurso financeiro para o tratamento, proteção aos filhos e à família na sua falta.

 

Principais Coberturas

 

Indenização pelo diagnóstico de Câncer:

Consiste no pagamento do capital segurado, no valor correspondente a 50% da cobertura de morte, quando for diagnosticado algum tipo de câncer (exceto o de pele), durante o período de vigência do seguro.

Assistência funeral individual ou familiar:

Oferece a você ou a seus familiares uma indenização de R$5, 10 ou 15 mil para despesas com funeral.

Invalidez permanente total ou parcial por acidente:

Consiste no pagamento do capital segurado em caso de invalidez permanente, por motivo de acidente pessoal devidamente coberto. Para essa cobertura também há a possibilidade de contratação de capital segurado em dobro.

Morte natural ou morte acidental:

Consiste no pagamento do capital segurado aos beneficiários, quando ocorrer a morte por causa natural ou acidental.

Faça já sua cotação conosco e fique sem preocupações!

Fonte: https://www.pfizer.com.br/noticias/Autoexame-e-prevencao-do-cancer-de-mama

Read More

21 set PRA QUE SERVE UM SEGURO NÁUTICO?

Transportes marítimos são bastante comuns entre a população e são muitos os que desejam adquirir um destes veículos. Entre os principais tipos de embarcações, destacam-se:  lancha, o iate e o barco à vela. Apesar de muito diferirem entre si, as embarcações tendem a compartilhar certas características, dentre elas, o elevado custo.

Navios caros podem ser destruídos devido a diferentes tipos de riscos no empreendimento marinho.

O valor do seguro náutico é cotado proporcionalmente às principais características da embarcação e a mais relevante delas é o valor monetário do veículo. O montante anual do seguro equivale, predominantemente, de 2% a 4% da avaliação da embarcação.

Confira algumas coberturas:

COBERTURAS BÁSICAS

Perda total

Assistência e salvamento da embarcação

Danos parciais

Roubo ou furto qualificado total

Operação de colocação e retirada de água

Participação em competição de pesca

 

OUTRAS VANTAGENS

Navegação sem limites em águas territoriais brasileiras, desde que observada a autonomia da embarcação, estabelecida pela Capitania dos Portos.

Extensão do limite de navegação para viagens internacionais.

Taxas justas.

Descontos especiais por ampliação da participação do segurado nos prejuízos, experiência, operação exclusiva em lagos, lagoas e rios de água doce para barcos à vela.

Fonte:  http://www.wikiartigos.com.br/importancia-do-seguro-nautico/

https://blog.melhorseguros.com/qual-importancia-do-seguro-nautico/

Read More

24 maio Roubo de carros com seguro sobe 16% no Rio, no primeiro trimestre

O roubo de carros segurados no estado do Rio de Janeiro aumentou 16% no primeiro trimestre deste ano, de acordo com dados divulgados nesta sexta-feira (5) pela Federação Nacional de Seguros Gerais (FenSeg), totalizando 100 veículos roubados por dia. No mesmo período do ano passado, a média de roubos era de 84 veículos/dia. Noventa por cento dos roubos ocorreram na capital fluminense e na região metropolitana do Rio de Janeiro.

De acordo com o diretor executivo da FenSeg, Julio Rosa, o aumento é resultado da violência crescente no estado. A redução da oferta de peças automotivas de reposição pela indústria, decorrente da diminuição da produção de veículos, desabasteceu os distribuidores e também influenciou o incremento dos roubos de automóveis, segundo a entidade.

O horário que registrou maior número de ocorrências de roubos foi das 18h às 24h, com 47% do total, seguida do período de 6h e 18h, com 40%. O horário de 24h às 6h somou 13% das ocorrências.

Julio Rosa destacou que o Rio de Janeiro está entre os quatro piores resultados do Brasil em termos de roubos de veículos nas capitais. Os demais são Rio Grande do Sul, São Paulo e Minas Gerais. “Esses quatro estão com uma violência acima da média”. Em Pernambuco, que lidera os roubos de veículos no Nordeste do país, a proporção é pequena em comparação aos demais estados, em razão do tamanho menor da frota, explicou. As seguradoras estão levantando os dados referentes ao mercado nacional.

Regulação

Para enfrentar essa situação de roubos crescentes, o mercado segurador pode adotar dois tipos de ação. Uma delas é a regulação de preços. A outra é a regulação de subscrição, ou seja, há bairros nesses estados que o mercado não aceita mais fazer seguro. “Dependendo do percentual de roubo dessas regiões do Brasil, o mercado pode começar a recusar a aceitação do seguro, de forma ampla e condicional.”  Julio Rosa disse  que não aceitar pode significar também colocar preço que a demanda não vai pagar.

Da frota circulante de veículos no país, apenas 30% têm seguro. “Setenta por cento não adquirem seguro por dois motivos: falta de condições financeiras e porque parte da frota tem mais de dez anos e o mercado segurador não aceita ainda”, disse o diretor da FenSeg. Ele acredita que com o fortalecimento do seguro auto popular, que vai atingir carros mais velhos, o percentual de veículos segurados terá sua participação ampliada. O auto popular já está em vigor mas ainda é incipiente, apontou Rosa. Um projeto piloto se acha em curso em São Paulo, informou. “Ainda não tem produto à disposição do auto popular.”

O levantamento feito pela FenSeg revela que a zona sul do município do Rio de Janeiro, que historicamente apresenta um percentual baixo de roubo de veículos, em relação a outras regiões da cidade, teve um crescimento de 45,77% nos roubos, nos três primeiros meses deste ano. Os bairros da região com maior número de ocorrências são: Flamengo, Ipanema e Lagoa. A Ilha do Governador, na zona norte, também chamou a atenção pelo crescimento de 77,56% dos roubos de veículos, no mesmo período.

A sondagem constatou ainda que os veículos roubados têm como destinos principais os desmanches, para revenda das peças, e a clonagem, com transferência dos carros para outros estados e países.

Mandamentos

A FenSeg elaborou uma cartilha para os segurados com algumas “dicas” ou mandamentos de segurança contra roubo de carros. O primeiro deles é que, ao sair da garagem de casa, em horários de pouco movimento na rua, o proprietário do veículo deve verificar as condições de segurança, como, por exemplo, observar se há algum estranho por perto ou se objetos estão interrompendo o caminho. “Caso não sinta segurança em sair, aguarde um pouco; ao chegar em casa, aja da mesma forma”, recomenda a Federação.

Outra sugestão é que, após as 22h, o usuário deve ter cuidado ao parar nos sinais. “Fique atento ao movimento das ruas”. De acordo com a cartilha, os motoristas nunca devem colocar bolsas, celulares ou qualquer outro objeto de valor sobre o banco do carona. “Guarde tudo embaixo do banco.”

Independente do local e horário, os usuários não devem permanecer dentro do carro parado com o motor ligado para enviar mensagens pelo celular, entre outras atividades, diz a FenSeg. Da mesma maneira, recomenda que nunca se deve esperar pessoas dentro do carro, muito menos com o motor ligado. Segundo a entidade, escolas e academias, entre outros locais, são bastante visados pelos assaltantes.

Outros mandamentos indicam cuidado ao entrar e sair do veículo em estacionamentos de shoppings e supermercados e, ainda, que ao sair de grandes estacionamentos, o usuário verifique se os trincos das portas estão travados.

 

Recuperação

No bairro do Méier, zona norte da capital fluminense, a Operação Méier Presente conseguiu recuperar 58 veículos roubados ou furtados em 17 meses de atuação na área da segurança, de acordo com números divulgados hoje (5) pelo governo do estado, que desenvolve o projeto em parceria com a Federação do Comércio do Estado do Rio de Janeiro (Fecomércio-RJ).

A Operação Méier Presente efetuou na região mais de 860 prisões em flagrante e cumpriu 57 mandados de prisão, sendo 21 por roubo e 17 por furto.

O capitão Rafael Andrade, coordenador do Méier Presente, disse que os moradores do bairro estão relatando uma circulação de veículos mais tranquila pelas ruas. “Desde a nossa chegada, esse tipo de crime vem sendo reduzido na região. Estamos diariamente atuando de forma qualificada e os números provam isso”, afirmou.

O policiamento na área é feito a pé, de bicicleta e de moto, em trios formados por policiais militares e agentes civis, que filmam todas as abordagens para assegurar a transparência e dar legitimidade à operação. As equipes também são monitoradas por GPS, informou a assessoria do governo fluminense.

Fonte: Jornal do Brasil.

Read More

10 mar 5 dicas sobre seguros obrigatórios para condomínios

Todo o prédio de habitação é obrigado a ter um seguro. Considerado uma despesa ordinária, este seguro deve vir no extrato do condomínio como despesa de manutenção do prédio.

De acordo com a Lei 4.591/64 o seguro deve ser feito dentro de 120 dias contados da data da concessão do “habite-se” (documento que comprova que o imóvel foi construído seguindo as exigências estabelecidas pelo código de obras da prefeitura local). O condomínio que ignorar esta regra estará sujeito à multa.

Para explicar melhor sobre este assunto, o advogado especialista em direito civil e imobiliário Fabricio Sicchierolli Posocco, do escritório Posocco & Associados Advogados e Consultores responde algumas questões

1- Quais são os tipos de seguros obrigatórios para condomínios?

O advogado informa que o seguro obrigatório deverá abranger toda a construção, tanto as áreas comuns quanto autônomas. “Ele visa garantir eventual sinistro que cause incêndio ou destruição do todo ou parte da edificação. A cobertura deve ser para riscos de incêndio, casos de raios, explosões, danos elétricos, desabamentos, vendavais, inundação, impacto de veículos, queda de aeronaves, entre outros”, explica.

2 – Quem decide quais coberturas o condomínio irá contratar?

O síndico é o responsável pela contratação e a consulta por Assembleia não se faz necessária. “odavia, por uma questão de transparência administrativa, nada impede que o síndico dê ciência aos condôminos sobre a escolha da seguradora, preço, condições de pagamento, valor segurado”, explica.

Existem ainda outras coberturas opcionais.  Elas, sim, exigem a deliberação de Assembleia Geral:

  • Coberturas em caso de furto ou roubo de automóveis,
  • Coberturas em caso de danos em elevadores e portões automáticos;
  • Cobertura em caso de quebra de vidros;
  • Cobertura de responsabilidade civil do condomínio e do síndico (nos casos de má administração não intencional), dentre outras.

3 – Quais as vantagens de uma cobertura completa?

“A vantagem de uma cobertura completa reside exatamente no fato de que tanto o síndico quanto os demais condôminos não terão “dor de cabeça” ou prejuízos específicos caso exista algum dano ou prejuízo ao condomínio”, indica Prosocco

4 – O seguro obrigatório cobre o condomínio de forma geral ou é específico para cada apartamento?

A contratação deve ser feita de acordo com a lei. Respeitando o valor de mercado do condomínio ou, pelo menos, em relação ao IPTU que aparece nos carnês respectivos emitidos pelo Poder Público. Esse produto cobre apenas o condomínio.

“Na prática, geralmente para economizar, o valor segurado acaba sendo inferior ao valor real do bem. Nesse caso, cada condômino, querendo, pode contratar com qualquer companhia a complementação do seguro de sua unidade”, esclarece. Isso faz com que, em caso de sinistro, se o imóvel estiver segurado só parcialmente o condômino é considerado cossegurado da outra parte, tendo que arcar com valores para pagar os danos.

5 – A contratação de um seguro individual para um apartamento específico interfere no seguro geral do condomínio?

Prosocco afirma que é preciso analisar que o seguro imposto pela lei em o objetivo de obter recursos para a reconstrução da edificação em caso de sinistro. “Assim, se alguns condôminos contratam seguro pelo valor real e outros por um valor vil, poderá haver dificuldade para reconstrução do prédio. Pois nem todos terão recursos para enfrentar de imediato o custo normal da reconstrução”, explica.

A irresponsabilidade dos condôminos que contratam seguro com um preço excessivamente baixo e não dispõem de meios para suportar os custos de reconstrução afetará o patrimônio dos que convencionaram o seguro na forma da lei, e, como já vimos, é de responsabilidade única do síndico.

Assim, em regra, não existe nenhuma interferência na contratação de um seguro individual em relação ao seguro obrigatório por lei. Todavia, seria interessante ao síndico que ao fazer um seguro obrigatório ao seu condomínio, já solicitasse também os “pacotes” das companhias para àqueles que pretendam fazer um seguro individual por unidade condominial e um “pacote” relacionado às coberturas opcionais.

O recomendável é procurar um corretor idôneo e honesto para tanto, escolhendo companhias reconhecidas no mercado, que apesar de serem um pouco mais caras, pelo menos garantem o pagamento do sinistro. Cuidado para não ser enganado, adquirindo “gato por lebre”.

Fonte: Centro de Qualificação de Corretores de Seguros.

Read More

13 set Com crescimento histórico, o roubo de cargas não para de subir

Apenas no primeiro trimestre desse ano, o roubo de cargas no estado foi quase 11% maior que no mesmo período do ano passado. Foram registrados 1.790 roubos de carga, contra 1.988 casos nos três primeiros anos de 2016.

A tendência de aumento no roubo de cargas se confirma. Em 2014, houve registro de 5.890 roubos no Rio, enquanto em 2015 foram 7.225 roubos no estado, um crescimento de 22,66% em um ano, segundo dados do Instituto de Segurança Pública (ISP).

“Todo mês eu venho aqui para o Rio de Janeiro. Foi a primeira vez que aconteceu isso comigo e a última também, porque aqui eu não volto mais não”, afirmou um motorista que trouxe um caminhão frigorífico do Sul do país no dia 18 de abril e foi vítima de um assalto na Avenida Brasil e passou duas horas e meia sob a mira de arma de criminosos no interior da comunidade da Pedreira.

A vítima, que não quis ser identificada, dirigia um caminhão frigorífico com 28 toneladas de filé de peito de frango que seriam entregues na Pavuna, uma das áreas consideradas mais críticas nos registros de roubo de cargas no Estado.
“Estava subindo a Avenida Brasil, sentido Campo Grande. Passando o Ceasa, os dois numa moto me abordaram, apontaram a arma e mandaram eu parar o caminhão. Aí, seguraram o trânsito, veio um outro carro, armado também, e mandou ‘desce, desce, desce’. Descarregaram a carga em uma rua, num lugar aberto, como pessoal tudo armado. Ontem era aniversário da minha filha, 16 anos, só pedi para não fazer nada comigo”, contou.

No dia 19 de abril, agentes da Delegacia de Roubos e Furtos de Cargas fizeram uma operação na comunidade da Pedreira e prenderam quatro suspeitos de participar do roubo ao caminhão.

Segundo um relatório do ISP, 12 vias no estado concentram a maior parte do roubo de cargas no Rio de Janeiro. De acordo com análise entre os meses de janeiro e dezembro de 2015, a Avenida Brasil concentra o maior número de casos de roubo de cargas, registrando 661 casos, o que corresponde a 9,1% de toda a carga roubada no Rio. Apesar de não ser uma via expressa, a Avenida Pastor Martin Luther King Jr, que corta bairros como a Pavuna, Engenho da Rainha, Inhaúma, Colégio, é a quarta da lista, com 188 casos.

 

Read More

06 set 1 em cada 4 dentistas já foi vítima de roubo ou furto, diz pesquisa

Pouco mais de dois anos após dois dentistas serem queimados vivos durante assaltos aos seus consultórios, a violência contra esses profissionais continua sendo algo comum. Pesquisa inédita do Conselho Regional de Odontologia de São Paulo (Crosp) mostra que um em cada quatro dentistas do Estado foi furtado ou roubado nos últimos cinco anos em seu ambiente de trabalho.

Levantamento feito pela entidade com cerca de mil profissionais de São Paulo mostra que o furto é o crime mais cometido. Do total de entrevistados, 19,2% já foram vítimas desse delito. Outros 8,7% foram roubados. A pesquisa revela que 13,1% sofreram assédio e 6,8%, agressão. “Essa pesquisa faz parte de uma tentativa do conselho de mapear os tipos de crimes mais comuns e os motivos que fazem os dentistas serem visados. A percepção é de que, para os criminosos, os dentistas são alvos mais vulneráveis porque trabalham em ambiente fechado, o que dificultaria um pedido de socorro”, diz Claudio Miyake, presidente do Crosp.

Em abril de 2013, a dentista Cinthya Magaly Moutinho, de 47 anos, foi morta em seu consultório, em São Bernardo do Campo, no ABC paulista, durante um assalto. Os ladrões atearam fogo na vítima. Um mês depois, a tragédia se repetiu no consultório de Alexandre Peçanha Gaddy, de 41 anos, em São José dos Campos, no interior.

Após as mortes, o Crosp colocou à disposição de seus associados um aplicativo que funciona como um botão do pânico – quando acionado, manda um alerta à rede de contatos do profissional. “Agora, levamos os resultados da pesquisa para conhecimento do delegado-geral da Polícia Civil. Mas, para que a polícia faça melhor o trabalho de investigação desses crimes, precisamos que eles sejam registrados. Muitos dentistas ainda não fazem o boletim de ocorrência”, diz Miyake.

A pesquisa mostra que só 31% das vítimas de furto procuraram a polícia. No caso dos roubos, o índice é de 78%. Após ter sido roubada e furtada três vezes, a dentista Cleide Cardoso, de 57 anos, passou a ser mais criteriosa ao escolher pacientes. “Meu consultório não tem placa, só atendo com horário marcado e não agendo pacientes sem indicação de conhecido”.

A Secretaria da Segurança informou que a polícia prendeu os assassinos de Cíntia e Gaddy e está à disposição do Crosp para dialogar sobre como aprimorar a segurança da classe.

Fonte: Estadão.

Read More

29 ago Confira as dicas de Drauzio Varella para parar de fumar

Parar de fumar não é uma tarefa fácil. Além de abdicar do prazer gerado pelo hábito, o ex-fumante passa por crises de abstinência quase instantâneas, que causam nervosismo e mal-estar. Mas mesmo assim, 22% dos brasileiros declaram que largaram o vício, em uma pesquisa do Ministério da Saúde realizada no ano passado. Se depender do médico Drauzio Varella, mais gente vai abandonar o cigarro em breve.

Drauzio apresenta o quadro “Brasil Sem Cigarro” todos os domingos, no Fantástico. No programa, três fumantes tentarão largar o tabaco, com a ajuda do médico. O próprio Drauzio é um ex-fumante, e superou o vício apenas por meio do autocontrole. ”Fumei durante 19 anos”, afirma. “Eu já era médico, comecei a ler a respeito dos malefícios do cigarro e teve um momento em que pensei: não é possível, deve ser uma coisa muito perigosa”.

O médico não fuma há 20 anos, mas afirma que de vez em quando ainda sonha com o velho hábito. “Você vira ex-fumante, mas ex-dependente nunca mais. A dependência é uma coisa que se instala no cérebro, modifica os circuitos e neurônios. Você vai ser dependente para sempre”, diz Drauzio.

Embora o cigarro seja a droga que provoca crises de abstinência mais rápido, é possível superá-las sem a necessidade de remédios. Quem aguenta os seis primeiros meses provavelmente conseguirá deixar o hábito para sempre, desde que não caia na tentação de fumar só mais um cigarrinho.

Confira abaixo as dicas dadas por Drauzio Varella para os leitores de ÉPOCA que desejam parar de fumar:

  1. Determine um dia para deixar o cigarro – Estabelecer uma data para parar de fumar é a primeira regra fundamental, para evitar que velhas desculpas adiem a decisão.
  2. Tenha sempre água ao seu alcance – Espalhe garrafas de água pela casa inteira e no local de trabalho. Todos concordam que beber água ajuda a vencer a abstinência. Cada vez que tiver vontade de fumar, tome alguns goles de água.
  3. Evite café e refrigerantes –A cafeína é um psicoestimulante que aumenta a vontade de fumar. O cigarro depois do cafezinho faz parte da rotina da maioria dos fumantes. Procure reduzir drasticamente ou eliminar as doses de café que você toma habitualmente pelo menos por algumas semanas. Os refrigerantes também contêm açúcar e ajudam a aumentar a vontade de fumar.
  4. Prepare alimentos pouco calóricos – Como a ansiedade muitas vezes é descarregada na comida, pique cenoura, pepino, salsão, nabo, couve-flor, tomate e outros alimentos pouco calóricos, mergulhe-os em recipientes contendo água com sal e deixe-os a seu alcance para descarregar neles a voracidade compensatória da ausência do fumo. Evite a qualquer preço os chocolates e doces. O exagero fará você engordar e voltar para o cigarro com o intuito de emagrecer.
  5. Cuidado com as bebidas alcoólicas – A ingestão de álcool facilita a excreção de nicotina, fenômeno associado ao aumento do consumo de tabaco. Por esse mecanismo, cria-se quase um automatismo para que um cigarro seja aceso assim que se toma o primeiro drinque. Alguns fumantes descarregam no álcool a ansiedade causada pela falta de nicotina, bebendo muito mais do que costumavam. Não faz sentido trocar uma droga por outra.
  6. Mude seu comportamento de rotina – O uso de qualquer droga está associado a determinados rituais desenvolvidos ao longo de anos: o cigarro depois do café da manhã, depois do almoço, ao telefone, na hora de ler o jornal e assim por diante. Procure identificar e evitar rituais associados ao prazer de fumar
  7. Fuja dos locais favoritos para fumar – Todo fumante prefere fumar em determinados locais. Nos dias que se seguem à decisão de parar, a permanência nesses lugares deve ser evitada ou restringida ao menor tempo possível para evitar recaídas.
  8. Evite a falta de atividade – Ficar parado com o olhar na direção do teto em nada ajudará. Nos primeiros dias, procure marcar vários compromissos para se distrair da falta do cigarro. Vá ao cinema, ao teatro, a museus. Procure manter-se ocupado em locais onde seja proibido fumar.
  9. Abandone a vida sedentária –Praticar atividade física talvez seja a medida mais importante de todas. Ninguém sente vontade de fumar enquanto corre, nada ou anda de bicicleta. Exercícios extenuantes são contraindicados, a menos que você esteja previamente habituado (a) a eles, porque os anos de cigarro podem ter comprometido suas condições cardiorrespiratórias.
  10. Não desista – Se não conseguir parar de fumar na primeira tentativa, não abandone o plano de deixar o cigarro! Muita gente larga de vez o vício depois de algumas tentativas frustradas.

Fonte: Época.

Read More

18 ago Como o seguro para empresas de TI pode evitar perdas financeiras?

Com o crescimento do acesso à internet em multiplataformas e a evolução de softwares especializados, profissionais da área de TI e prestadores de serviços observam com otimismo o aumento de suas demandas. Proporcionalmente elevados também são os riscos e responsabilidades atrelados à prestação de serviço que requer cumprir prazos em curto período de tempo e ao mesmo tempo possui o desafio de recursos capacitados com a disponibilidade necessária.

Neste cenário, tornam-se cada vez mais comuns a ocorrência de erros no desenvolvimento de atividades e consequentemente reclamações de clientes pedindo a reparação dos alegados prejuízos em decorrência de falha no desenvolvimento de um software, de um aplicativo que não atendeu as expectativas do cliente ou o não cumprimento de prazo.

O seguro de RC Profissional, também conhecido por E&O (Erros & Omissões), tem como objetivo resguardar empresas de TI por reclamações decorrentes de ato, erro ou omissão na prestação de serviço que gerem perdas financeiras a seus clientes.

Segundo Flavio Sá, Gerente de Linhas Financeiras da seguradora AIG Brasil, “o mercado de TI segue prosperando e demanda um capital humano extremamente preparado, porém com a rápida resposta necessária é comum que erros aconteçam. O seguro de RC Profissional tem se tornado uma alternativa válida para o gerenciamento de risco, refletida pelo aumento da demanda por esse tipo de proteção, impulsionado pela maior consciência dos clientes ao buscarem reparação por atos de negligência, imprudência e imperícia profissional.”

A AIG é uma das seguradoras mundiais em riscos de Responsabilidade Civil Profissional, oferecendo coberturas contra diversos tipos de atividades e prejuízos.

A apólice oferece cobertura para os custos de defesa, incluindo honorários advocatícios, em ações judiciais, extrajudiciais, além do pagamento da indenização pecuniária. Dentre outros danos que possam ser indenizados está o extravio, roubo ou furto de documentos de clientes ou terceiros, incluindo registros de informática, danos morais e a responsabilidade de terceirização de serviços.

Fonte: IPNews

Read More

09 ago Como o brasileiro cuida e quanto gasta com seus pets

O Brasil tem por volta de 132,4 milhões de animais de estimação, dos quais 52,2 milhões são cachorros e 22,1 milhões são gatos, segundo dados do IBGE fornecidos pela Abinpet (Associação Brasileira da Indústria de Produtos para Animais de Estimação).

O cuidado com a alimentação e a saúde desses bichinhos movimenta cerca de 17 bilhões de reais por ano.

O mercado de petcare no país, porém, ainda tem muito espaço para crescer, segundo Sandro Cimatti, sócio-diretor da CVA Solutions e responsável por uma pesquisa inédita sobre o tema.

Isso porque, de acordo com ele, parte dos brasileiros ainda não assimilou orientações como alimentar os animais com ração industrializada, levá-los com frequência ao veterinário, tratá-los com medicamentos e ter um seguro saúde pet.
“Menos de 3% dos donos de cães e gatos já têm plano de saúde. E quando perguntados sobre a hipótese de o custo com esse serviço ser de 70 reais ao mês, cerca de 30% deles afirmaram que contratariam. Ou seja, ainda falta o consumidor conhecer este serviço”, ressalta Cimatti.

A maioria dos brasileiros, conforme o levantamento, considera seus pets como um membro da família, ou mesmo como um filho.

O estudo da CVA ouviu 3.782 donos de cães e 2.206 donos de gatos em todo o país. No infográfico abaixo, veja outros detalhes revelados pelo material.

Fonte: Exame.com

Read More

05 ago 16 passos para o check-up perfeito

É fato que os homens vão menos ao médico por livre e espontânea vontade para fazer check-up, há pesquisas sobre hábitos dos brasileiros feitas pelo Ministério da Saúde que comprovam. O que não é nada bom. É na batelada de avaliações e exames anual que se previnem doenças e se prolonga e melhora a qualidade da vida. Como deixamos para depois coisas que não sabemos muito bem como começar, listamos todos os passos de um check-up perfeito — não vai sobrar nenhuma desculpa para adiar mais.

Antes de tudo, um aviso sincero: este manual é ideal, mas quase utópico. Médicos recomendam que todas as etapas sejam cumpridas anualmente, mas às vezes pode faltar tempo para avaliações tão específicas. Ele foi elaborado pelo Vita Check-Up Center, centro especializado nesta área que atende majoritariamente clientes corporativos.

Priorize as primeiras etapas e consulte seu médico para saber de quanto em quanto tempo seu corpo demanda cada avaliação. “Tudo depende muito da história de cada indivíduo”, afirma Antonio Carlos Till, cardiologista e diretor do centro Vita.

1 — Avaliação clínica
A primeira tarefa é visitar um clínico geral para uma avaliação ampla do corpo. Ele vai identificar doenças e problemas de saúde que possam existir, pedir exames, encaminhar o paciente para especialistas de cada área. Esta etapa serve também para uma avaliação dermatológica, importante para o diagnóstico precoce de um eventual câncer de pele.

2 — Avaliação laboratorial
Esta é aquela batelada de exames que as pessoas associam ao check-up. Sangue, fezes e urina são essenciais para encontrar sinais de anemia, diabetes, colesterol, gordura no organismo, risco cardíaco, insuficiência renal, problemas urinários e verminoses.

3 — Avaliação urológica
A dosagem de PSA (antígeno prostático específico, na sigla em inglês) e o exame clínico – com toque renal, se for indicado – são importantes para prevenir do câncer de próstata, de alterações na função erétil e possíveis causas de infertilidade. Trate do teuplaygound.

4 — Avaliação cardiológica
Ela é composta por eletrocardiograma de repouso, prova de esforço computadorizado e ecocardiograma bidimensional com colordoppler, somente para homens com mais de 40 anos. Hipertensão arterial e doenças coronárias são evitadas deste modo. Para quem tem mais de 65 anos, avaliação de capacidade aeróbica, identificação de arritmias e duplex scan colorido de artérias carótidas e vertebrais são importantes para prevenir problemas da terceira idade.

5 — Avaliação ultrassonográfica
Aqui são examinados abdômen, tieróide e próstata. Esses exames diagnosticam doenças na vesícula biliar, cálculos renais, alterações hepáticas e alterações prostáticas, como a presença de nódulos, o tamanho deles etc. Esses nódulos podem ser benignos ou malignos.

6 — Avaliação respiratória
Uma prova de função respiratória para testar os pulmões. Nada complicado.

7 — Avaliação proctológica
Aí é feita uma retossigmoidoscopia, mas só para homens com mais de 50 anos ou para aqueles com histórico familiar de câncer que tenham mais de 40. Também é feita a análise precoce de pólipos, lesões pre-cancerosas, e o diagnóstico de hemorroidas e similares.

8 — Orientação nutricional
Pois é. Pode não fazer parte daquele check-up convencional do qual você já ouviu falar, mas checar o que está sendo ingerido é fundamental para boa saúde. Nesta etapa são feitas análise de composição corporal por bio-impedância, cálculo de IMC (índice de massa corpórea), e a orientação nutricional com elaboração de programa dietético para combater a obesidade.

9 — Avaliação de estresse emocional
Outra parte que você não colocaria em um check-up simplório. Entrevista com psicóloga para medir o nível de estresse, com aconselhamento sobre vidas pessoal, familiar e profissional.

10 — Avaliação radiológica
Raios-X de tórax, de PA e perfil, fazem o diagnóstico de doenças pulmonares.

11 — Avaliação de imunização
Não é só na infância que temos de tomar vacinas. Esta etapa estuda o esquema de vacinação adulta e dá recomendações para se proteger de doenças como hepatites A e B.

12 — Audiometria aérea e óssea
Fase em que se checa a intensidade auditiva.

13 — Avaliação de estilo de vida
Hábitos são verificados e possivelmente alterados por meio de aconselhamento. Dieta, atividade física, tabagismo, uso de álcool e orientações sobre o sono compõem esta etapa.

14 — Avaliação oftalmológica
Teste de acuidade visual, tonometria, estudo de refração e fundoscopia. Assim se previne glaucoma e detectam-se alterações da retina.

15 — Avaliação postural
Com aconselhamento ergonômico, para não deixar a postura trazer problemas mais graves.

16 — Momento bem-estar
Uma sessão de relaxamento em uma poltrona que faz massagem também faz parte do check-up perfeito elaborado pelo Vita Check-Up Center. É um momento de “reflexão”. Esta etapa aqui você pode repetir várias vezes ao ano, se preferir, ok? Relaxe sem moderação.

Fonte: GQ.

Read More